terça-feira, 29 de maio de 2018

DC - A Piada Mortal


O excelente trabalho que foi feito nos flashbacks, colocando-os em meio a história central, usando uma narrativa que te faz ter uma empatia com o personagem, uma história que no final se costura com a trama principal, o que na minha humilde opinião, essa origem do Coringa que é contada, é mais plausível, (agora viajando mais ainda, mas qual Coringa? Entrando naquela paranoia de existirem 3 Coringas). Já que citei sobre a cronologia, a influência que essa história teve, adotando para a linha temporal da DC a Barbara como paraplégica, surgindo um novo personagem, a Oráculo, que perdurou até os Novos 52. 



Falando do roteiro em si, contado na história de “origem” e utilizado pelo Coringa para enlouquecer Jim Gordon, e toda a filosofia e reflexão da história, basta apenas “Um dia ruim” para mudar uma pessoa para sempre, para ela romper barreiras, ultrapassar os limites, a linha tênue entre a realidade e a insanidade, que ao meu ver acaba sendo uma viagem sem volta na grande maioria dos casos. Traz a reflexão da nossa sociedade, um dia ruim basta para um pai entrar para o crime porque seu filho não tem leite para beber e acaba sendo uma bola de neve, a pessoa vê a facilidade e não tem mais volta, a pessoa mata para roubar, a pessoa começa a dar golpes nos outros, começa a explorar as fragilidades de pessoas “normais” ou certinhas e tudo se perde, é uma discussão bem mais ampla que dá para seguir para N lados.

O outro ponto, aquele que tornou essa história tão famosa, é a violência contra mulher, além do tiro a queima roupa, tem as fotos da Barbara nua (e violentada?), que dão a entender que ela foi estuprada, mesmo não dando detalhes e nem mencionando, a mensagem que ficou foi essa, o Coringa passou do ponto nessa, foi muito cruel, sanguinário, desgraçado e demasiadamente foda como vilão, e um violão “humano”, sem efeitos espetaculares, gás em toda cidade e coisas do tipo, uma violência típica da nossa sociedade e que acaba (infelizmente) deixando essa história atemporal, pois lá se vão exatos 30 anos dessa publicação e continuamos a falar e cada vez mais expor, a violência contra mulher e campanhas contra isso.

Voltando a questão de que “um dia ruim basta para mudar uma pessoa para sempre”, é feito um paralelo psíquico do Batman com o Coringa, onde um é a antítese do outro (pelo menos esse Coringa), onde ambos tiveram um dia ruim que mudou TUDO em suas vidas, no caso do Batman também ultrapassando os limites, numa espécie de insanidade também, mas para combater o mal, muitas vezes passando daquela linha tênue que comentei anteriormente, da insanidade, dos limites normais mas que ele consegue ter um controle, ter um freio, impor um limite depois dos limites, já o Coringa não tem limites.

Resumindo, essa não é uma história do Batman.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

MARVEL - Vingadores: Guerra Infinita

Pela primeira vez saí de uma sala de cinema tenso. Sentindo-me derrotado, com um peso no peito. Me lembrou eliminações traumáticas no futebol, como Brasil x França em 2006, Grêmio x Independiente Medellin em 2003 entre outras, em que tu fica dias pensando em alternativas e nada pode fazer.
Pela primeira vez um filme de super-herói (is) termina na derrota.
Se antes do filme tínhamos dezenas de questionamentos sobre as joias, sobre quem morreria, quais os meios que o Thanos utilizaria para chegar às jóias, entre tantas outras coisas como realocar os personagens, alguns sumidos, como se juntariam... Agora temos MUITO MAIS perguntas, dúvidas, apreensão e ansiedade para chegar logo o 4º filme.
Obviamente muitas coisas foram cortadas do filme, como Thanos pegando a primeira joia. Tenho a impressão que no final do filme da Capitã Marvel (o qual se passa na década de 90) vá mostrar, e como ela vendo de fora a situação criada por Thanos e o chamado de Nick Fury, fazendo a ponte direta para Vingadores 4. Uma situação que me decepcionou foi a inutilidade da Feiticeira Escarlate, talvez ela seja o ser mais poderoso (ou pelo menos Top 5) do universo Marvel, ela pouco foi aproveitada em detrimento do protagonismo para outros personagens.


THOR / GUARDIÕES - A morte do Loki acredito ser verdadeira/definitiva e Heimdahll morreu com honra, enviando Hulk pra Terra para alertar à todos. Dos crossovers que tivemos no filme, disparado o melhor, foi de Thor com os Guardiões da Galáxia. Muito bom humor, foi bem trabalhado, a sincronia que há entre os personagens é quase perfeita, quebrou o gelo do clima tenso geral do filme. Falando em Thor, FINALMENTE O THOR. Isso é o Thor, o Poderoso Thor. Praticamente morto pelo Thanos ele sabia o que tinha de fazer, uma nova arma sagrada asgardiana, muito mais poderosa, Thor chegou chutando bundas e por alguns

centímetros não matou Thanos.


CAPITÃO AMÉRICA - Steve Rogers (não Capitão América), teve uma participação menor, porém, de grande importância, a reverência que todos tem com ele obedecendo-o, confiando e a disposição de morrer lutando ao seu lado. Foi o responsável de reunir quem se separou em Guerra Civil, visto a bobagem daquele acordo , ninguém se fez ao se reencontrar, se viram aliviados de estarem juntos novamente.

Steve luta rapidamente com Thanos, chega a segurar um pouco mas pe derrotado rapidamente, assim como todos. Vale ressaltar que encontrou Thanos já com todas as jóias, foi covardia.
Dentro do universo de Rogers, teve o retorno do Caveira Vermelha, algo que eu pensei que aconteceria, visto que ele apenas foi abduzido pelo Tesseract; Estava lá como guardião da joia da Alma, em primeiro momento pensei que fosse a Morte, o grande amor de Thanos, mas não a utilizaram. Particularmente foi a tomada de cena que achei mais bonita, o filtro utilizado nesse cenário em Vormir ficou espetacular.


O que espero do futuro de Steve Rogers? Uma conclusão, sabendo que Chris Evans não tem mais contrato e que não voltará a ser o Steve, que tenha o encontro entre ele e o Caveira Vermelha, que morram juntos lutando ou vão para um universo / buraco negro / dimensão paralela, seria um final digno para ambos e para um reboot do MCU.


HULK, HOMEM DE FERRO e DR. ESTRANHO - O encontro entre os dois era necessário, foi rápidas as apresentações porém consistentes. Dr. Estranho se contradiz no final, após visualizar mais de 14 milhões de possibilidades e ver que a ÚNICA é retirar a manopla, o mesmo acaba entregando a joia pela vida de Stark (no início disse que sacrificaria ele ou Peter Parker em detrimento de proteger a joia). Ambos ficaram vivos e serão peças fundamentais contra Thanos.

Hulk levou uma surra de Thanos no início, e pareceu ter ficado com medo de "sair" (achei também pra economizar no CGI), mas como o Hulk está numa mentalidade meio infantil (Thor Ragnarok), pode-se dizer que era medo.


HOMEM ARANHA - Como fã do Aracnídeo, reservei um espaço pra ele, mas não era necessário, Tivemos um novo uniforme, o popular Aranha de Ferro. Servindo de traje espacial ele deu novos recursos à Peter. Seu status quo ainda é na escola o que já dá pistas de que o segundo filme seja o

final dessa parte de sua vida. Ele trabalha com mais liberdade e confiança, ao ver uma nave gigante não exitou em sair correndo para ver o que era aquilo. Ao final a sua "morte" acaba sendo a mais emocionante, querendo não morrer, ele cai nos braços de Tony Stark (DE NOVO O PROTAGONISMO EXAGERADO) e some juntamente de metade do Universo.

E AGORA? - O filme terminou, Thanos venceu, metade do Universo está morto. A cena pós créditos mostra Nick Fury (que também morre/some) enviando um chamado para....Capitã Marvel. A heroína do segundo escalão da Marvel vai ser a chave pra salvar tudo (com Adam Warlock).
Na minha opinião, o filme da Capitã (Fevereiro 2019) que se passará no passado (anos 90), terá na sua parte final cenas atuais, mostrando a invasão de Xandar (só ver o símbolo dela) e Thanos pegando a primeira joia (não mostrado), e claro, ela recebendo o contato de Fury e toda ponte pra situação atual. Onde ela está? Ela "salvou" o casulo de Adam Warlock? Teremos o Nova?? Esse filme da Capitã ganhou MUITO¹²³ mais importância agora, resta saber como será costurado tudo e como vão (de novo) tentar nos enfiar uma heroína da Marvel, como TENTARAM com a própria capitã nas HQs e fracassou.

No geral, dou uma nota 9,5 pro filme. Entregou o que prometeu e não comprometeu em nada, surpreendeu muito, apostava muito na morte de Steve Rogers ou Tony Stark (e até dos dois) pra acabar muito triste o filme, mas acho que assim ficou mais chocante, sem esperança alguma.

Minhas críticas são as de anos, o protagonismo excessivo em cima de Tony Stark (por causa do ator) e a necessidade de TODOS (ATÉ O VISÃO!!!!!) do ator ficar mais tempo com o rosto de fora do que a máscara, isso é muito ruim. Como já falei da Feiticeira, também achei o Visão mal aproveitado, muito frágil, caiu facilmente. A ordem negra, aqui chamada de Filhos de Thanos ficou sinistra, Primeira Meia Noite e Fauce de Ébano ficaram macabros e sanguinareos, bons vilões. E onde está Sharon Carter??? Será esquecida ou uma será uma surpresa com Rogers morrendo em seus braços? E Jane Foster, a astrofísica que não presenciou nada... Eu perdoo, era muita gente pra 2h e pouco. 
Chega logo 2019. 


Avante Vingadores!

segunda-feira, 30 de abril de 2018

DC - O Botom

Intensamente emocionante e muito mais questionamentos em nossa cabeça, não nos decepciona no que promete, mexer com Watchmen é periogoso mas o que é mostrado aqui é somente o Botom.


O Botom é apenas um meio. Iniciou-se no especial Dc Renascimento, de um ano atrás, nos dando um "brain explode" ao mostrar o botom do Comediante, de Watchmen, quando Bruce o encontra na batcaverna e continuará mais adianta em O Relógio do Juízo Final (Doomsday Clock nos EUA) onde ainda está sendo publicado, com previsão de chegar ao Brasil no final de 2018 em formato ainda não divulgado.


Um ano se passou e nada sobre isso foi mencionado nas histórias do Batman e tão menos nas do Flash. Publicado no Brasil em dois formatos e duas capas diferentes, a história não tem enrolação alguma, se desenvolve bem rápido, nos surpreendendo de cara já, quando o Flash Reverso reaparece não deixando claro o que ele quer, mas ao derrotar o Batman ele fica com o Botom e acaba sugado [?] abduzido [?] por uma luz [?] raio [?] AZUL. (Olá Dr. Manhattan).
E logo já volta gritando que viu DEUS e cai morto, torrado virado em esqueleto. Será que agora o Flash Reverso morre, de vez? Ou continuará sendo um paradoxo? Isso é o que menos importa agora.

Flash e Batman resolvem seguir a energia do Botom pela esteira cósmica para descobrir a origem do botom, dos fatos, quem está manipulando o Universo? Quem roubou 10 anos de vida deles, mencionado por Wally West?? E acabam vendo muitas coisas de linhas temporais alternativas, ou seria somente uma que foi manipulada ao longo de décadas após os eventos em que Flash voltou no passado, ou apenas uma brincadeira de marionetes que "alguém" realizou?
O ponto alto da trama se dá quando eles "chegam", caem da esteira dentro de uma batcaverna, e dando de cara com Thomas Wayne. Sim, eles voltaram à realidade do Flashpoint, Thomas estava a ponto de se matar explodindo tudo, mas como o mesmo diz, é salvo pelo seu filho. Bruce revela que Thomas é avô, mas o tempo começa sumir e Flash corre com Bruce que não queria deixar seu pai, Thomas mais uma vez com todo amor do mundo se sacrifica e salva Bruce, empurrando-o para a esteira cm Flash. Nisso, a dupla está correndo e encontra o....Flash Reverso??? Isso mesmo, encontraram ele no tempo ainda, durante aquele raio azul que o pegou na caverna, Flash ainda tenta avisá-lo de que irá morrer e o mesmo ignora, sendo dizimado por um raio azul.
Agora é  vez de Flash reencontrar alguém, durante a corrida na força de aceleração, eles encontram Jay Garrick, o primeiro Flash, e o puxam de volta pra caverna do Batman mas o mesmo desaparece.
E assim permanece o mistério....

A dúvida que fica, é mesmo o Dr. Manhattan manipulando isso? Será que ele ficou testando seus poderes e bagunçou tudo? Afinal em Antes de Watchmen de Dr. Manhattan ele cria diversos planetas/universos, chegou a ser considerado o ponto zero do universo DC de Os Novos 52. Ou ele está tentando convocar eles porque uma destruição iminente (tipo as incursões da Marvel) está acontecendo?? Ou ele está apenas brincando com eles? Nas últimas páginas abre uma lacuna muito grande para NÃO SER ele o manipulador, pois ele mesmo fala que somos todos marionetes e ele é apenas uma que consegue ver as cordas.


Mas o grande ponto de interrogação, a grande chamada pra te manter curioso e criar 739 teorias diferentes, vem nas últimas duas páginas, onde temos o botom vagando pelo espaço, a imagem vai dando zoom na mancha de sangue vermelha do botom e quando reabre, abre a imagem no S vermelho do Superman. What???
O que que vai rolar?? Qual a ligação do Superman?? Seria ele o tal Deus? Um outro Superman agindo como Deus, manipulando até o Manhattan...????
Bem, Vamos levar alguns meses pra saber e esperar que conclua em o O Relógio do Juízo Final, o que já ouvi de análises é que nada do Watchmen é tocado ou alterado, apenas usados os personagens, pode-se entender então que trata-se de um spin-off de Watchmen (parecendo até fan fic) com croosover do universo DC dos heróis que acompanhamos mensalmente.



terça-feira, 24 de abril de 2018

MARVEL - A Saga da Fênix Negra


A conclusão da história é muito melhor do que os outros 80% da trama. Talvez por causa do resultado final é que a hype dessa história é tão grande e não pela sua qualidade ou desenvolvimento. Respeito opiniões alheias, não su fã dos X-Men, mas o que realmente pra mim vale a pena são as três últimas partes da trama, desde o fim da parte do Clube do Inferno até sua conclusão.

A primeira metade achei meio fora de contexto, a parte de Jason Wyngarde trabalhando na mente da Jean Grey achei um pouco forçado, mas explica que ela estava utilizando bloqueios psíquicos para conter a Fênix, no momento que elas os quebra, desanda tudo.
Ando bem exigente com histórias, mas sei que se passava em 1979/1980 essa trama, temos narrativas mais maçantes e redundantes, desenhos exagerados e pouco trabalho de cenário como narrativa.
Acho que esse encadernado é um resumo legal, mas a leitura só se complementa mesmo com o Magneto Triunfa e a história do nascimento da Fênix, acredito que quando ler estas histórias terei um entendimento melhor dessa aqui. 

 




Gostei muito da parte final, uma batalha na Lua, o modo como a Jean Grey se matou, como o própria vigia fala, ela preferiu morrer como humana do que a eternidade como Deusa, pois os X-Men não teriam coragem para fazer o que era necessário.
A história original, que é mostrada no fundo da revista é interessante, retirando TODOS os poderes e mantendo a Jean viva, mas acho que ficou mais impactante a morte dela como foi contado.
Claro, estamos falando de Marvel, e sabemos que ela já voltou a vida...

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Eu não sou do PT


Nunca utilizei nenhum desses programas sociais que os governos do PT criaram, ampliaram ou deixaram acessível à todos. Entretanto, não defendo o Lula nesse caso da prisão, pois não acredito que ele é inocente (pois onde há fumaça há fogo).
É só ser um pouco esperto e perceber que o Lula após 3 derrotas nas urnas (89, 94 e 98) conseguiu se eleger se aliando à grandes empresas, marketeiros, empreiteiras e bancos para ganhar apoio (filosófico e financeiro), mas é aquilo, depois tem que devolver os favores quando estiver lá no poder, facilidade em licitações, desvio de verbas, compras superfaturadas e etc
Em 2006, foi minha primeira eleição (completei 16 anos naquele ano) eu votei no Lula e votei em deputados de DIREITA também. 
Em 2010 votei nulo, nem Dilma Rousseff e MUITO menos José Serra me representavam (aliás, eu voto CONTRA o PSDB sempre, existe as pessoas anti-PT eu sou anti-PSDB), e em 2014 votei na Dilma (mais por ser contra o PSDB e ser um voto a mais na acirrada disputa que estava). Não sou petista, mas sempre defendi a causa de "governo popular" ou benefício dos menos favorecidos, seja qual for o governo (os governos de PMDB aumentam a segurança e efetivo policial e arrumam estradas, ao contrário dos governos Petistas); cresci vendo o PT transformar Porto Alegre com Olívio Dutra, Tarso Genro e Raul Pont (período entre 88 e 2004), a cidade cresceu, se aprontou (dentro do status quo do Brasil) para o século 21, pecou em várias coisas também, como o desleixo com o centro da cidade e segurança pública. 
Quando pequeno meus pais eram militantes do PT, morávamos lá em São Leopoldo, aquela coisa de mais jovem, querer mudar o país, estava tudo muito quente pós-Collor, até conhecemos o Lula em um passeata em 1994, lá em SL, mas eu não defendo o PT, defendo a filosofia que eles TINHAM, sim, no passado, como já disse um dos poucos petistas que não se corrompeu, Olívio Dutra, o PT transformou-se naquilo que ele mais criticava, se vendeu, perdeu sua filosofia, sua identidade, se corrompeu como todos os outros e perdeu a credibilidade dos mais céticos, os que o defendem são apenas sindicalistas que vestem vermelho (não tem vermelho na bandeira do Brasil). 
Se o Lula for candidato (eu digo SE e acho que NÃO DEVERIA), não votarei nele no 1º turno, não me representa, é mais do mesmo, como sempre critiquei, é do "mesmo velhario que está lá mamando há décadas". Se for Lula e PSDB pro segundo turno, votarei nele, mas não por ele, pelo PT, mas contra toda a corja que injustamente derrubou a Dilma, que só se levantou contra o voto popular, por causa de um mimado cheirador, que ficou brabo porque perdeu, por causa de uma corja que deu um golpe político em defesa de seus interesses (como colocar amigos em foro privilegiado, como Eliseu Padilha, Moreira Franco.... visto que a Lava Jato estava avançando sem parar). 
Lembra como era o slogan do véio (esse sim que merece Impeachment) José Ivo Sartori, o meu partido é o RIO GRANDE, ou o BRASIL. Onde todos ganhem, onde todos consigam comprar seu carro, sua casa ou ao menos comer.

MARVEL - Guerras Secretas



Publicada originalmente entre os anos de 1984 e 1985, em 12 edições, essa foi a primeira grande história misturando os principais personagens do Universo Marvel e de super heróis.
Entretanto por falta de verba e vergonha na cara, eu nunca havia lido e não gosto de ler scans, não consigo me concentrar.

Eis que em uma boa promoção, comprei o encadernado, que fora lançado em meados de 2016, e fiquei louco para ler. Para os padrões de hoje, a história, a gramática, a arte e as falas dos personagens, parecem até estranhos, diferentes até de quando comecei a ler HQs no final dos anos 90 e muito mais para os dias atuais.
É uma linguagem mais explicativa, como por exemplo, o personagem falar seu nome, se apresentando, e dizendo o que ele está fazendo, por exemplo "Eu Homem de Ferro, agora vou usar meu propulsor construído com tecnologia disso e isso, que solta tanto voltz de potência..", algo que não precisa ser explicado, pois já está implícito no personagem.
Entretanto, era a linguagem de mais de 30 anos atrás, a informação não corria como hoje em dia, onde tu já tens uma base de cada personagem.
Gostaria apenas que ela fosse revitalizada com arte de hoje em dia, pois tem pano de fundo pra ter visuais lindos a história, uma arte psicodélica, como foi o mundo de batalha que teve em Guerras Secretas de 2016. A história começa meio sem pé nem cabeça, e que aos poucos se explica, gostei da idéia de excluir alguns heróis da história para que sua ausência, ou a falta deles, fosse de influência nas decisões a serem tomadas pelos participantes do jogo (Jogo de Beyonder).

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Linkin Park 1 mês

12/10/2012 Foi o dia o qual por muitos anos aguardei ansiosamente por chegar, o qual pensei que jamais aconteceria, se tornaria realidade, mas o sonho sempre se manteve.

Cerca de 8 anos que sou fã do Linkin Park e nesse tempo muita coisa aconteceu, meu cabelo cresceu, eu amadureci, meu cabelo diminuiu, eu amei, chorei, amo de novo e sou feliz, meu time perdeu, ganhou, sai do colégio, amigos se foram e vieram, e o Linkin Park sempre em meus ouvidos.

Acompanhei o amadurecimento da banda, algo que só me alegrou, pois só o LP faz esse tipo de som e deixou de ser algo mais adolescente pra um som e letras mais maduras, acompanhando o envelhecer dos integrantes (e seus fãs, conquistando novos).

O dia foi cansativo, passar um feriado inteiro de pé, numa fila gigante e espremido entre desconhecidos durante horas, tudo por "apenas" 1h e 30 minutos de show, que valem cada centavo e todos esses mais de 8 anos de admiração.

Foi lindo, mágico, emocionante, ver meus ídolos há cerca de 3..4 metros de distância e ter aqueles pensamentos de "Bah, eles existem mesmo, são de verdade", que te deixa abobalhado. Escuto o áudio do show e lembro de cada momento, que vai estar eternizado em minha memória, foi demais, o show da MINHA banda favorita, o que sempre sonhei, com certeza entre as 3 noites mais especiais da minha vida.

Pode tudo parecer bobagem, mas o quanto amo essa banda é como se fosse o Grêmio, a experiência de ir a um show da tua banda favorita e ver mais de 10 mil pessoas cantando junto, e ver que tu não é o único que gosta, sabe todas as letras e manhas da banda, te enche de orgulho e comprova que tu não é nenhum louco, ou ao contrário, é mais um louco.

12 de Outubro, inesquecível, hoje faz 1 mês e parece que foi ontem.